terça-feira, 9 de março de 2010

QUAL É O SEU DESTINO:NÍNIVE OU TÁRSIS?


Jonas tinha uma posição privilegiada, era profeta para o povo de Deus em Israel.
O principal inimigo de Israel era a Assíria, cuja capital era Nínive.
Jonas se sentia superior aquele povo que era conhecido como criminosos e cruéis.
Estava Jonas na sua zona de conforto quando ouve a voz do próprio Deus: ”levanta-te, vai a grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até a minha presença” (Jonas 1.2).
Apenas nessa sentença tiramos algumas lições: “levanta-te, vai a grande cidade de Nínive”.
Levanta: ação,sair do comodismo, do lugar de destaque, deixar posição...
A grande cidade: apesar de Jonas ser profeta, a cidade de Nínive era chamada de grande, poderosa, logo compreendemos que Jonas não era mais importante para Deus que os ímpios da grande cidade. E mais difícil ainda, entendemos que chegara a hora de Jonas cessar a ministração ligth, e confrontar a orgulhosa Nínive, ir além do que era acostumado.
Nesse ponto correria o risco de Jonas sair de foco, o profeta queridinho para ser odiado por um povo impiedoso.
Ninguém gosta de ouvir profecia dura e Deus manda Jonas profetizar destruição para aquele povo.
Diante das circunstâncias: “porém, Jonas se levantou para fugir da presença do Senhor para Társis;... pagou , pois a sua passagem”, e lá foi Jonas num navio, para longe da presença de Deus.
Jonas pagou para não obedecer a Deus, e você? Que preço está disposto(a)a pagar por desobediência a Deus, por fugir daquilo que Ele lhe pediu pra fazer?
Jonas chegou ao ponto de ser lançado fora do navio em que estava, e você? Vai mudar de posição ou espera ser lançado(a) fora (da cidade, do grupo do “ministério”, das funções).
Jonas era o empecilho no navio, será que nossa desobediência a Deus não está impedindo o fluir de Deus na igreja, num grupo, na família, na sociedade? principalmente na igreja,afinal, somos um só corpo, o corpo de Cristo.
Após ser lançado fora e engolido por um peixe, Jonas aceitou fazer o que Deus mandou. Entretanto, não abriu mão dos “poréns”.
Jonas ficou irado com Deus porque o povo de Nínive não fora destruído. Seus inimigos, mesmo arrependidos, Jonas não aceitava a misericórdia de Deus para aquele povo. Jonas continuava com sua auto-justiça, orgulho e sentimento de superioridade.
A arrogância, orgulho, prepotência de Jonas era tão nítida que ele ousou se desagradar em extremo com a ordenança de Deus. Jonas ficou irado e se achou no direito de orar assim: “Ah! Senhor! Não foi esta minha palavra, estando ainda na minha Terra? Por isso é que me preveni, fugindo para Társis...”
Jonas se deleitava no ego, no eu, deixando os pensamentos de Deus para segundo plano.
Muitas vezes somos tolos, agimos como Jonas.
Para não fazer a vontade de Deus = ir para Nínive (neste contexto: centro da vontade de Deus) e fugimos para Társis = que de acordo com historiadores, é de localização incerta e conforme a Bíblia, é longe da presença de Deus (nosso eu, eu quero, eu sou, eu vou fazer do meu jeito doa a quem doer, não abro mão dos meus títulos, dos lugares de destaque, “vou continuar sendo arroz de festa”, sou melhor e faço melhor que todo mundo, então tenho que fazer parte de tudo, ainda que para isso tenho que usurpar a função de outros que considero menos que eu).
Que Deus tenha misericórdia de nós, pois não passamos de trapos na presença de Deus e ainda, segundo Paulo em Romanos 3.10: “Não há justos, nenhum sequer”.
Que tolice disputar com Deus o que fazer, se a nossa ou a vontade Dele!
Deus poderia ter impedido a fuga de Jonas, mas permitiu ele comprar a passagem e sair da presença de Deus, ser humilhado ao ser lançado fora do navio e passar horas de pavor na barriga de um peixe...
Deus usa circunstâncias para tratar nosso orgulho. Além de que Jonas precisava um tratamento de choque para se despir da estrutura de orgulho que o envolvia. Só assim foi possível confrontar a orgulhosa cidade de Nínive.
O tratamento no vale ou no deserto(ou na barriga de um peixe) é necessário antes de chegar a Nínive. E se mesmo assim, a vontade plena do pai for contestada, as misericórdias Dele são imensuráveis, porém, a sua justiça também.
Então, vamos para Nínive, ou qual preço está disposto(a) a pagar pela desobediência?
A decisão é sua!

2 comentários:

Marcia do Rafa disse...

Deus me revelou algo profundo sobre esta mensagem, a primeira foi justamente o orgulho, a segunda foi que Jonas não precisaria ter passado pela barriga do peixe e a terceira foi... "por isso há entre vós muitos fracos e enfermos e muitos que DORMEM" aí olhei o contexto de I Co 11 e percebi "examine-se o homem a si mesmo..." JONAS DORMIU NO PORÃO mesmo fugindo da vontade de Deus porque não se examinou entao me veio o seguinte pensamento antes de examinar os outros examine-se... Por causa dele todos que estavam no "barco" iam perecendo... Muitas vezes estamos no meio de tempestades causadas pelo nosso "sono" ou seja pela falta do auto-exame... Senhor tu me sondas e me conhece... Sonda o meu coração, a minha motivação, tira o caminho mau que há em mim e guia-me pelo caminho eterno...

Anônimo disse...

Nossa! até hoje é a melhor explanação que que vi a erspeito dessa passagem.
O Espirito Santo é fiel em suas revelações a nós.
Agora é estar,e não fugir, da presença de Deus,pois das potentes mãos do Todo Poderoso, ninguém escapa.