quarta-feira, 9 de setembro de 2009

UM CLAMOR PELAS CRIANÇAS DO HAMAS

Eu te convido a clamar comigo pelas crianças do mundo, ESPECIALMENTE pelas crianças do HAMAS.

O Hamas é uma organização radical palestina que não reconhece a existência do Estado de Israel e que, desde junho de 2007, controla a Faixa de Gaza. Hamas é a abreviatura para Harakat Al-Muqawama al-Islamia (Movimento de Resistência Islâmica).
O Hamas é, ao mesmo tempo, um partido político e um movimento militar, as Brigadas Qassam. São elas que organizam os ataques com mísseis contra Israel.
As origens do grupo remontam à Irmandade Islâmica, organização fundamentalista criada em 1928 no Egito. Com o início da primeira Intifada (insurreição, em árabe) contra Israel, em 1987, a Irmandade Islâmica criou um braço armado, o qual chamou de Hamas.
O Hamas é considerado uma organização terrorista pela União Europeia, pelos Estados Unidos, pelo Canadá, pelo Japão e, claro, por Israel.
Para muitos palestinos, entretanto, trata-se de uma organização beneficente, que presta ajuda e assistência nos lugares onde a Autoridade Nacional Palestina (ANP) falha.
Foi também graças à atuação do Hamas que foram inaugurados hospitais, jardins-de-infância, escolas e pontos de distribuição de sopa nos territórios em conflito, o que permitiu que a organização ganhasse amparo junto à parte pobre da população palestina.
O Hamas virou um partido político em 2005. Em janeiro do ano seguinte, venceu as eleições parlamentares palestinas, derrotando o Fatah e ficando com a maioria das cadeiras.

A PEDOFILIA DO HAMAS

Um evento de gala ocorreu em Gaza.


O Hamas foi o patrocinador de um casamento em massa para 450 casais. A maioria dos noivos estava na casa dos 25 aos 30 anos; a maioria das noivas tinham menos de dez anos.
Enquanto a imprensa exalta os "lutadores da liberdade do Hamas", os "rebeldes", ou então o PT e demais organizações de esquerda no Brasil dão apoio integral ao mesmo (conforme nota do secretário geral do partido, Valter Pomar durante a época do conflito), o mundo desconhece uma das histórias mais nojentas de abuso infantil, torturas e sodomização do mundo vinda do fundo dos esgotos de Gaza: os casamentos pedófilos do Hamas que envolvem até crianças de 4 anos. Tudo com a devida autorização da lei do islamismo radical.
A denúncia é do Phd Paul L. Williams e está publicada no blog thelastcrusade.org e é traduzida com exclusividade no Brasil pelo De Olho Na Mídia (ninguém mais na imprensa nacional pareceu se interessar pelo assunto).
O Centro Internacional Para Pesquisas Sobre Mulheres estima agora que existam 51 milhões de noivas infantis vivendo no planeta Terra e quase todas em países muçulmanos.Quase 30% destas pequenas noivas apanham regularmente e são molestadas por seus maridos no Egito; mais de 26% sofrem abuso similar na Jordânia. Todo ano, três milhões de garotas muçulmanas são submetidas a mutilações genitais, de acordo com a UNICEF. A prática ainda não foi proibida em muitos lugares da América.
A prática da pedofilia teria base e apoio do islã, pelo menos a sua leitura mais extrema e radical. O livro Sahih Bukhari (além do Corão, outra das fontes de grupos como o Hamas) em seu quinto capítulo traz que Aisha, uma das esposas de Maomé teria seis anos quando se casou com ele e as primeiras relações íntimas aos nove. O período de espera não teria sido por conta da pouca idade da menina, mas de uma doença que ela tinha na época. Em compensação, Maomé teria sido generoso com a menina: permitiu que ela levasse todos os seus brinquedos e bonecas para sua tenda.Mais ainda: talvez o mais conhecido de todos os clérigos muçulmanos deste século, o Aiatóla Komeini, defendeu em discursos horripilantes a prática da pedofilia:Um homem pode obter prazer sexual de uma criança tão jovem quanto um bebê. Entretanto, ele não pode penetrar; sodomizar a criança não tem problema. Se um homem penetrar e machucar a criança, então ele será responsável pelo seu sustento o resto da vida. A garota entretanto, não fica sendo contada entre suas quatro esposas permanentes. O homem não poderá também se casar com a irmã da garota... É melhor para uma garota casar neste período, quando ela vai começar a menstruar, para que isso ocorra na casa do seu marido e não na casa do seu pai. Todo pai que casar sua filha tão jovem terá assegurado um lugar permanente no céu. Para finalizar, não são só as meninas que sofrem com a violência por parte do hamas, há informações sobre espancamentos realizados contra meninos no mundo muçulmano para "estudarem melhor" - que incluem açoitamentos - escravidão de menores( há um vídeo a respeito no endereço do blog citado neste post) e a venda de meninas de 8 anos ou até menos como noivas no Sudão e em outras países da região. Tudo, com carimbo do islã radical:
Esta é a história que a mídia não conta, que o mundo se cala e não quer ver, ou que não querem que você saiba. Mas agora você está ciente, não tem mais jeito! Vai ficar calado? Cobre os veículos de mídia, aja! Se você não fizer nada, ninguém poderá salvar estas vítimas inocentes do inferno do Hamas e similares.

Publicado por De Olho na Mídia com o título A História Oculta do Mundo: a pedofilia do Hamas - http://www.deolhonamidia.org.br/Comentarios/mostraComentario.asp?tID=420

5 comentários:

Francielle Cristiane Silva disse...

Jesus tenha misericórida destas crianças, deste povo!!

Loidy disse...

Senhor Jesuuusssssssssss!!!!! Clamemos pelas crianças e por esse povo q. precisa de Deus!! Ótimo post, Cleo!! Que o Senhor continue lhe abençoando.

Talita disse...

Oi querida!! Obrigada pelo carinho! Desafio feito e aceito! Vamos orar por elas!!
Beijão
Tudo d bom!

Estela Vargas disse...

Olá querida!
Vi que vc deixou um comentário no meu blog mas não está seguindo ainda...entra lá ok?
Deus te abençoe grandemente e que cada dia possamos compartilhar o amor de Deus com esses povos que precisam de Jesus!
bjs

Bernardete disse...

Estou estarrecida que ainda haja esse tipo de divulgação na mídia, para incitar a Comunidade Internacional a demonizar o grupo islâmico Hamas, representante legítimo do Povo Palestino.
Sabe-se que esse tipo de conduta parte de Israel (criado em 1948) e de seus aliados, que vivem aterrorizando o Povo Palestino, em suas próprias terras, utilizando-se do NOME DE DEUS em vão, ao afirmar que Deus disse que as terras dos palestinos eram as terras "prometidas" para eles.
Desde a criação do Estado De Israel, o Povo Palestino vive uma CATÁSTROFE, pois eles tem sido invadidos, ocupados, oprimidos, humilhados, aprisionados (vide MURO DA VERGONHA)para que os SIONISTAS possam ter a sua "TERRA PROMETIDA".
Isso não é obra de Deus.
Judeus decentes (não sionistas) não compactuam com as loucuras sionistas!
Na verdade, o Hamas, eleito pelo Povo Palestino, em 2006, conseguiu 76 dos 132 assentos parlamentares disponíveis em eleições livres e justas, onde cerca de 860 observadores internacionais estiveram presentes - o maior grupo de observadores é proveniente da UE, seguido do grupo norte-americano do The Carter Center/National Democratic Institute - que concluíram o mesmo: estas eleições, apesar de todos os constrangimentos, foram globalmente livres e justas.
Quanto às supostas noivas do Hamas,sabe-se que se trata de invenção maldosa, pois as crianças eram as damas de honra, comuns também em casamentos da Igreja Católica. Eu inclusive já fui daminha de honra no casamento de parentes.
Não confundir propositadamente "noivas" com "damas de honra", por favor.
Mentira, falsidade,demonização são más condutas perante Deus, não é mesmo?
Até que ponto chega a maldade humana!
Invadem, ocupam, mentem, roubam, massacram em nome de Deus.
Meu Deus!
Será que Deus vai novamente perdoá-los visto que não sabem o que fazem?
Não sabem, é?!
Sabem muito bem o que fazem e o fazem por Maldade, por Ganância, por prazer demoníaco.

Jesus tenha misericórdia do povo Palestino que vive aterrorizado pelo povo de Israel!